-- De onde vens e para onde vais ?
-- Venho de Deus na escuridão e para Deus vou na Luz.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Poemas de Hafez, Poeta Iraniano



 

 Poemas de Hafez 

Khwāja Šamsu d-Dīn Muḥammad Hāfez-e Šīrāzī, conhecido por seu pseudônimo Hāfez ou Hafiz, foi um poeta lírico e místico persa, nascido entre 1310 e 1337 na cidade de Xiraz na Pérsia (Irão).

Suas obras selecionadas (Divan) podem ser encontradas nas casas da maioria dos iranianos, que aprendem seus poemas de cor e os usam como provérbios e ditados até hoje. 
Sua vida e seus poemas têm sido objeto de muita análise, comentário e interpretação e têm influenciado a literatura persa pós-século XIV mais do que qualquer outra coisa.
Os principais temas de seus poemas são o amor e a exposição da hipocrisia daqueles que se colocaram como guardiões, juízes e exemplos de retidão moral. 
Seus poemas líricos, são notáveis por sua beleza, pelo fruir do amor, pelo misticismo e por temas misticos que haviam permeado a poesia persa.


Selecção de Poemas 



Quanto mais perto chego de você, Amado,
mais consigo ver que somos apenas Você e eu
neste Mundo.


 

No início, os pássaros não tinham o desejo de voar.
O que realmente aconteceu foi isto:
Certa vez Deus sentou-se perto deles tocando música.
Quando Ele partiu, eles sentiram tanto a Sua falta
que seu anseio fez asas brotarem neles,
necessitando vasculhar os céus.


Aborrecido?
Então fique comigo, pois Eu não estou.


Solitário?
Milhares de seres apaixonados e nus

habitam as cavernas antigas debaixo de 
Minhas pálpebras.

Riquezas?
Tome aqui um punhado,
todo Meu corpo é uma esmeralda que implora.
 


Eu aprendi tanto de Deus,
Que já não posso mais chamar-me
Cristão, Hindu, Muçulmano, Budista, Judeu.


A Verdade compartilhou tanto de si mesma comigo,
Que já não posso mais chamar-me Homem, mulher,
anjo ou mesmo uma alma pura.


 

Não viemos aqui para aprisionar,
Mas sim para nos entregarmos cada vez mais 
profundamente à liberdade e alegria.
Não viemos a este mundo extraordinário
Para nos mantermos reféns apartados do Amor.


Fuja, meu querido, de tudo que possa
não fortalecer as preciosas asas que estão
brotando em você!

Pois não viemos aqui para aprisionar
Ou confinar nossos espíritos maravilhosos,
 

E sim, para experimentarmos cada vez mais
profundamente Nossa coragem, liberdade
e Luz divinas.


 

Por que apenas pedir para o asno em mim
Falar com o asno em mim,
Quando tenho internamente tantos outros
Animais lindos e pássaros coloridos brilhantes
Que estão todos desejando dizer algo maravilhoso
E estimulante para meu coração?

Pense sobre isso por um momento:
Eu nunca escutei um pássaro ou o sol dizerem
para Deus: sinto muito.


Tudo está aplaudindo hoje,
A luz, o som, todos os movimentos.
Passei por um coelho que puxou o címbalo
de seus bolsos ocultos e então piscou o olho.
Alguém viu isso e chamou um psiquiatra. 
Tentaram me prender por estar tão feliz.
Escute: este mundo é uma esfera de lunáticos,
não concorde sempre que ele seja real.

Mesmo com meus pés sobre ele
e o carteiro conhecendo minha porta
Meu endereço é num outro lugar.
 
O homem pequeno constrói gaiolas para todos 
que conhece.
Enquanto o sábio, continua deixando caírem

as chaves a noite toda para os lindos prisioneiros barulhentos.

 

Se você não está viajando e não
está na estrada, como pode 
chamar-se de guia?


Resista a sua tentação de mentir falando da sua separação de Deus, senão teremos que medicá-lo.
Ouça, eles têm clínicas lá também para os loucos 
que persistem em dizer coisas como:
 “Sou independente do Mar, Deus não está sempre por aqui gentilmente se apertando contra meu corpo.”

1 comentário:

  1. Olá, parabéns pelo site, o conteúdo dele é muito bom!
    lincolnlopestaubate@gmail.com, caso queira trocar ideias seria para mim um grande prazer.
    Muito obrigado e um abraço!

    ResponderEliminar